"Todos sabem fazer história - mas só os grandes sabem escrevê-la."
(Oscar WIlde)

Sejam bem vindos!

Este blog tem como finalidade tornar acessível aos meus alunos e quem mais se interessar os conteúdos de História e textos relacionados a educação... portanto Seja bem vindo ao espaço que foi criado especialmente para você.

domingo, 20 de setembro de 2009

Como Vencer a Pobreza e a desigualdade " REDAÇÃO DE ESTUDANTE CARIOCA VENCE CONCURSO DA UNESCO COM 50.000 PARTICIPANTES

'PÁTRIA MADRASTA VIL'
Onde já se viu tanto excesso de falta? Abundância de inexistência. .. Exagero de escassez... Contraditórios? ? Então aí está! O novo nome do nosso país! Não pode haver sinônimo melhor para BRASIL. Porque o Brasil nada mais é do que o excesso de falta de caráter, a abundância de inexistência de solidariedade, o exagero de escassez de responsabilidade. O Brasil nada mais é do que uma combinação mal engendrada - e friamente sistematizada - de contradições. Há quem diga que 'dos filhos deste solo és mãe gentil.', mas eu digo que não é gentil e, muito menos, mãe. Pela definição que eu conheço de MÃE, o Brasil está mais para madrasta vil. A minha mãe não 'tapa o sol com a peneira'. Não me daria, por exemplo, um lugar na universidade sem ter-me dado uma bela formação básica. E mesmo há 200 anos atrás não me aboliria da escravidão se soubesse que me restaria a liberdade apenas para morrer de fome. Porque a minha mãe não iria querer me enganar, iludir. Ela me daria um verdadeiro Pacote que fosse efetivo na resolução do problema, e que contivesse educação + liberdade + igualdade. Ela sabe que de nada me adianta ter educação pela metade, ou tê-la aprisionada pela falta de oportunidade, pela falta de escolha, acorrentada pela minha voz-nada-ativa. A minha mãe sabe que eu só vou crescer se a minha educação gerar liberdade e esta, por fim, igualdade. Uma segue a outra... Sem nenhuma contradição! É disso que o Brasil precisa: mudanças estruturais, revolucionárias, que quebrem esse sistema-esquema social montado; mudanças que não sejam hipócritas, mudanças que transformem! A mudança que nada muda é só mais uma contradição. Os governantes (às vezes) dão uns peixinhos, mas não ensinam a pescar. E a educação libertadora entra aí. O povo está tão paralisado pela ignorância que não sabe a que tem direito. Não aprendeu o que é ser cidadão. Porém, ainda nos falta um fator fundamental para o alcance da igualdade: nossa participação efetiva; as mudanças dentro do corpo burocrático do Estado não modificam a estrutura. As classes média e alta - tão confortavelmente situadas na pirâmide social - terão que fazer mais do que reclamar (o que só serve mesmo para aliviar nossa culpa)... Mas estão elas preparadas para isso? Eu acredito profundamente que só uma revolução estrutural, feita de dentro pra fora e que não exclua nada nem ninguém de seus efeitos, possa acabar com a pobreza e desigualdade no Brasil. Afinal, de que serve um governo que não administra? De que serve uma mãe que não afaga? E, finalmente, de que serve um Homem que não se posiciona? Talvez o sentido de nossa própria existência esteja ligado, justamente, a um posicionamento perante o mundo como um todo. Sem egoísmo. Cada um por todos. Algumas perguntas, quando auto-indagadas, se tornam elucidativas. Pergunte-se: quero ser pobre no Brasil? Filho de uma mãe gentil ou de uma madrasta vil? Ser tratado como cidadão ou excluído? Como gente... Ou como bicho?
Tema: 'Como vencer a pobreza e a desigualdade' Por Clarice Zeitel Vianna Silva UFRJ - Universidade Federal do Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - RJ

domingo, 23 de agosto de 2009

O Desafio National Geographic 2009 representa um grande concurso nacional de geografia, cujo maior objetivo é despertar entre os estudantes do Ensino Fundamental e Ensino Médio o interesse por temas relevantes do mundo contemporâneo. O Desafio busca aferir o que os jovens aprenderam e como aplicam os conhecimentos de geografia para compreender a realidade cotidiana, em conexão com áreas e temas como história, cultura, meio ambiente, sustentabilidade, viagens e turismo. Pela primeira vez os alunos de Heliópolis se submeteram a esta prova que foi realizada no ultimo dia 19 de agosto, aplicada aos alunos das 8ªs séries da ESCOLA DE 1º E 2º GRAU GOV. WALDIR PIRES e do 1º ano A do COLÉGIO ESTADUAL JOSÉ DANTAS DE SOUZA.

Vejamos aqui a relação com os alunos que se destacaram na 1ª fase da prova:

OLIMPÍADAS DE GEOGRAFIA E HISTÓRIA
CLASSIFICAÇÃO DA PRIMEIRA PROVA (fase local) COLÉGIO ESTADUAL JOSÉ DANTAS DE SOUZA.

1º MACIELE VIEIRA DANTAS 18 acertos
2º GUSTAVO S. DO NASCIMENTO e GUILHERME R. DE SANTANA 17 acertos; 3° LAÍS SANTOS REIS, ROSENI DOS ANJOS SALES, ELISANGELA P. NASCIMENTO, JOEVELLI F. NASCIMENTO, EUZILANE GAMA SOUSA e DIEGO SANTOS SOUZA 16 acertos.

CLASSIFICAÇÃO PRIMEIRA PROVA (fase local) ESCOLA DE 1º E 2º GRAU GOV. WALDIR PIRES.
1º J. JOSENILZA J. SANTOS 8ªC 19 acertos
2° J. MAGDALA OLIVEIRA SANTOS 8ª C 17 acertos
3º MARIA DE SOUZA SANTOS 8ª C, BRENNA SANTOS BATISTA 8ª A e LETÍCIA F. DOS SANTOS CRUZ 15 acertos.

Parabéns a todos que participaram!

“O mundo é um livro. Aqueles que não viajam lêem somente uma página.”Santo Agostinho (354-430), teólogo romano


PROFESSOR RESPONSÁVEL: ADILSON NOBRE DO NASCIMENTO